Campina X Bananeiras: tratamento diferenciado da empresa que faz o São João

Foto: Divulgação/BR230
 

Paraibaonline

A crítica mais recorrente à edição deste ano do Maior São João do Mundo, em Campina grande, diz respeito, mais uma vez, à decoração da cidade, praticamente inexistente até o momento, considerando as dimensões da cidade e a expectativa quanto ao evento, que não se realizava há dois anos.

Existe um complicador adicional: o próprio Parque do Povo, epicentro dos festejos juninos, também enfrenta a inexistência de ornamentação condizente em sua área principal, mesmo faltando menos de uma semana para o ápice do evento.

Foto: Divulgação

Apenas a área da ´pirâmide´ está devidamente compatível com as expectativas geradas entre a população e os turistas que nos visitam.

De acordo com o contrato celebrado entre Medow, que gerencia o evento, e a Prefeitura campinense, a decoração é de responsabilidade da empresa.

Foto: Divulgação-ASCOM

O referido contrato foi firmado antes da suspensão do evento, devido à ´pandemia´, e foi aditado para a edição deste ano devido ao fato de o edital para novo processo licitatório não ter atraído participantes.

Foto: Divulgação-ASCOM

Um aspecto adicional que tem chamado a atenção e potencializado a indignação de muitas pessoas e empresários envolvidos com o São João campinense é o fato de a Medow estar também organizando os festejos juninos da cidade de Bananeiras, no Brejo paraibano, e lá toda a belíssima ornamentação (veja fotos) foi montada no tempo oportuno, ou seja, antes do início da programação, que começou neste final de semana.

Veja as áreas que deveriam estar ornamentadas em Campina Grande, de acordo com o contrato entre a Medow e a PMCG.

Foto: Divulgação