IGP-M recua e fecha o mês de maio com variação de 0,52%

Foto: Reprodução/Pixabay
 

Com informações da Rádio Agência Nacional

O IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado) apresentou variação de 0,52% em maio, bem abaixo da taxa de 1,41% registrada no mês de abril. Com este resultado, divulgado nesta segunda-feira pela Fundação Getúlio Vargas, o indicador acumula alta de 7,54% no ano.

O coordenador dos Índices de Preços da FGV André Braz explicou que o recuo do IGP-M em maio deve-se à desaceleração nos preços do atacado. Destaque para a variação da energia elétrica, que passou de 1,53% em abril para 0,35% em maio, e os combustíveis fósseis, como a gasolina e o diesel. A taxa passou de 10,80% para 0,01% no mesmo período.

Braz citou, ainda, a contribuição de outras commodities, como o minério de ferro, o farelo de soja, o milho e os bovinos, que também apresentaram queda nos preços em maio.

Na avaliação do economista, estas quedas nos preços no atacado são importantes, porque o IGP-M é um bom antecipador das pressões inflacionárias que ainda vão chegar no varejo.

Braz lembrou que não tem mais a grande diferença que se acumulou nos últimos dois anos entre o IGP-M, que era usado para o reajuste dos aluguéis, e o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), medido pelo IBGE e usado como referência para a inflação oficial do país.

Em maio de 2021, o IGP-M havia subido 4,10% e acumulava alta de 37,04% em 12 meses.